No estágio, as atividades diárias são realizadas em um período menor em relação ao trabalho formal, visando a formação e o aprendizado. É importante que a empresa contratante e seus responsáveis entendam o objetivo da atividade, pois ele não está no ganho de produtividade e sim, na formação do aluno.

Boa parte dos estágios tem remuneração, embora alguns não sejam remunerados. Geralmente, a carga horária fica entre 4 e 6 horas diárias. Isso depende de cada empresa, mas também da função exercida pelo estudante. O tempo de estágio também varia. Existem empresas que trabalham com a permanência de 6 meses, outras, de 1 ano e até mais.

O estudante apto a fazer o estágio precisa estar regularmente matriculado no seu curso e apresentar frequência mínima exigida, além de estar em dia com as exigências de sua faculdade. Isso vale para cursos de Educação Profissional de Nível Superior e Educação Superior.

Do mesmo jeito que há inúmeros tipos de organizações, indústrias e setores, estágios também vem em formas variadas: responsabilidades, nível de exposição à liderança, interação com áreas e possibilidade de efetivação variam muito entre uma oportunidade e outra. Por isso é tão importante pesquisá-las e entender melhor o que cada uma oferece.

Empresas de grande porte e órgãos do setor público, por exemplo, costumam ter processos seletivos organizados em diversas etapas, oferecer planos de desenvolvimento profissional estruturados e ter data de início e fim para o período de estágio.

Já empresas pequenas e outros tipos de organizações podem abrir vagas conforme precisam, empregar processos seletivos mais simples e oferecer uma dose maior de autonomia.

A chave para encontrar um estágio que combine com seu perfil é entender o que você quer naquele momento profissional para então filtrar o que está disponível no mercado.

Trechos extraídos de:

https://guiadoestudante.abril.com.br/orientacao-profissional/como-funciona-um-estagio-e-como-encontrar-a-vaga-certa/

Open chat